Como foi ficar 3 meses sem lactose e nada de leite

By Larissa Bueno - janeiro 26, 2020



Uma boa intolerante a lactose como sou, sofri basicamente nos últimos quase quatro anos anos de uma forma intensa por causa da bendita lactose, que estava presente em todas as minhas alimentações, antes deu ter a certeza da intolerância em 2018. Entretanto a descoberta só me fez ter a consciência do motivo de passar tanto mal, somente isso, e nada mais, pois não conseguia ficar sem comer as coisas mais maravilhosas que o leite produz e isso definitivamente estava me fazendo um mal danado, tanto na saúde como na mente, por ser consciente daquilo.

Fazia acompanhamento com a nutricionista desde o resultado do exame, nos dias das consultas eu conseguia fazer a dieta certinho, mas isso só acontecia de 3 em 3 meses, ou seja, não estava dando certo. O máximo de tempo que tinha ficado sem comer nada tinha sido uma semana, que nunca mais voltou, e como disse anteriormente a minha mente estava me acusando, sempre que colocava algo na boca. O leite em si eu tinha conseguido parar, biscoitos recheados e iogurtes também, mas os bolos, sorvetes, doces e queijos eram difíceis de me conter, eu sempre me rendia.

Nos dois meses que fiquei na Espanha foram os meses que eu mais consegui cuidar da minha saúde, embora não tenha rejeitado nada que aparecia na minha frente, ainda assim eu conseguia comer iogurtes de soja e outros leites vegetais. Logo que voltei, fui a nutricionista novamente, contei tudo o que tinha comido nesse tempo fora e ela sempre me fazia lembrar da frase: aceita que dói menos. Saí de la decidida a realmente aceitar, mas no outro dia falhei, comi a melhor sopa de chocolate da minha cidade com um amigo e minha prima logo depois de um açaí cheio de tudo que eu não podia. Passei mal, ao ponto deu tomar uma decisão: eu precisava parar, mas sozinha não conseguia! Essa era uma verdade.

17 de outubro: iniciei um propósito. Somente Jesus podia me ajudar a cuidar de mim sem falhar ou tropeçar todo dia. Inicialmente determinei 3 meses para que não fosse algo tão pesado em minha mente. Logo nos primeiros dias foi difícil rejeitar porque parecia que a lactose conspirava contra mim. Em todos os lugares que eu estava alguém me oferecia algo que não podia, mas antes de aceitar como sempre fazia eu dizia não! Confesso que não foi fácil dizer tantos nãos, mas isso tudo me fez desenvolver um pouco mais a culinária, praticamente vegana, pra não ter vestígio de leite mesmo, fiquei viciada nas receitas do Pinterest e inclusive comecei a compartilhar receitas por aqui e no instagram. Aprendi a fazer bolos sem leite, panquecas, leite condensados vegetais que na verdade só um deu mais ou menos certo, até brigadeiro consegui fazer, acreditem ou não. Como também aprendi a comer coisas que antes eu não gostava mas que agora conseguia me dar uma variação no cardápio diário.

20 de dezembro: voltei a nutricionista e para a surpresa dela eu finalmente tinha conseguido ficar tanto tempo sem comer algo que me fizesse mal. "Estou orgulhosa". Essas palavras até hoje ecoam nos meus ouvidos. E nesse dia saí do consultório quase chorando: "Bom agora você já consegue se virar sozinha, não precisa mais voltar!". Ao mesmo tempo que era um alívio deu uma tristeza, afinal tinha sido praticamente dois anos sendo acompanhada e agora teria que caminhar com as próprias pernas.

O natal e o ano novo chegaram, e minha saúde não foi afetada, segui firme e forte com Jesus. Nunca fiquei tanto tempo sem passar mal e  com essa estabilidade na minha saúde, tanto interna quanto externa pois sempre tive desde criança problemas de pele por causa da ingestão de lactose, psiorize, ressecamentos, espinhas, tudo sumiu.

17 de janeiro: encerraram esses três meses de propósito e muito mais do que ficar sem comer nada do tipo durante esse tempo foi um aprendizado que isso me trouxe: Eu preciso cuidar mais de mim, não posso ser escrava de algo que não me faz bem. Mas uma coisa que realmente me chamou a atenção foi: sem Ele, nem uma dieta restrita eu consigo fazer, sempre tentei e nunca conseguia, sempre falhava, mas a partir do momento que eu entreguei essa chave nas mãos dele, Ele guardou e me fez caminhar numa leveza tão peculiar, que isso não se tornou um peso.

Não vou fazer propósito de três meses para o resto da vida porque eu preciso me controlar como pessoa também e foi nesse tempo que Jesus abriu os meus olhos para eu ver o que eu estava fazendo comigo, com o meu corpo que é templo do Espirito Santo. Hoje consigo ter consciência disso, de que Ele não me criou pra que eu me maltratasse, não, Ele me deu esse corpo para cuidar, então a partir desse pensamento eu vou levar o estilo de vida mais saudável a sério e viver sem a lactose até o dia que não houver mais essa intolerância, pois tenho fé que um dia Ele pode me curar.

Compartilhe com quem você gosta!
Com Carinho,Lari.

  • Share:

Você pode gostar também

0 comentários