Uma quase critica sobre "Dash & Lily"

By Larissa Bueno - novembro 25, 2020



Quando se une romance e natal, sinceramente não tem como dar errado e eu particularmente já amo logo de cara. E foi o que aconteceu com a série Dash e Lily, lançada no dia 10 desse mês de novembro pela plataforma da Netflix e acabou conquistando muita gente em tão pouco tempo, inclusive terminei os 8 episódios da primeira e até então única temporada em praticamente um dia. E hoje quero compartilhar o que eu achei dessa série, mas já adianto que pode rolar alguns spoilers, recomendo assisti-la primeiro antes de ler esse post caso ainda não assistiu.

A Netflix surpreendeu esse mês de novembro com muita novidade de filmes e séries natalinas, assim que a notificação chegava eu corria para assistir pois pra mim os filmes de natal são os mais legais para assistir em um dia aleatório. Confesso que deixei Dash e Lily na minha lista para assistir depois e só consegui assistir esse ultimo sábado, pois entre filmes e série eu prefiro filmes pois sei que vou assistir do inicio ao fim e está tudo bem, agora série não adianta, falamos que só vamos assistir um episódio e três horas depois ainda estamos ali assistindo pra matar toda aquela curiosidade e não sofrer por ansiedade para saber depois.



A série me prendeu logo de cara, juntou natal + romante + livros = combinação perfeita. Sinceramente não cheguei a ler o livro "O caderninho de  desafios de Dash e Lily" dos autores David Levithan e Rachel Cohn então pra mim não teve nenhuma frustração ou algo do tipo em relação a divergências da verdadeira história. Mas fiquei curiosa depois de descobrir que a série foi baseada nesse livro, para ler também afinal a segunda temporada não está prevista ainda e eu não suporto esperar por muito tempo sem saber de nada. 

Não achei tão clichê como normalmente são as produções de natal, na verdade não achei clichê, pois dois adolescentes que não tinham menor chance de se conhecerem acabam  ''se conhecendo'' através de um caderninho vermelho deixado em uma livraria com desafios para serem cumpridos. Mas ambos tinham algo em comum, que fortaleceu esse vinculo desde o inicio: não se encaixavam na maioria dos lugares que iam. Trazendo um pouco para nossa realidade, quem de nós faríamos esse desafio aleatório, sem conhecer quem estava escrevendo, e sem saber para onde isso iria nos levar? E o interessante disso tudo foi que o Dash, embora não acredite muito nas coisas, e não tem muitas referencias para isso, decidiu aceitar o desafio e se envolveu completamente ao ponto de envolver todos os seus amigos, que durante a série inteira achava que não tinha, para encontrar finalmente a menina do caderninho vermelho.


Como em todo romance, as coisas não são só flores, acontecem várias coisas, mas coincidentemente eles acabam se encontrando novamente no mesmo lugar sem saber que ambos eram os que escreviam no caderninho vermelho. Foi também uma mistura de emoções, além do romance, da raiva em alguns momentos também a série é bem engraçada, o que já ganhou mais espaço dentro de mim, porque é muito bom perceber que do outro lado da TV estamos rindo, as vezes sozinhas sabe?

Existem problemas de família também como em toda série, mostrando as diferenças de cultura, toda a questão da adolescência e suas vontades, mas também trata muito sobre o que as pessoas ditam sobre a outra quando querem se expressar do jeito que elas são, o que interfere muito na autoestima e as faz minimizar o ciclo de amigos ou querer ter amigos mais velhos para não sofrer esse tipo de coisas com as pessoas da mesma idade. O que é bem real fora das telas da Netflix quanto aos adolescentes principalmente. Mas ao final desses únicos 8 episódios, as coisas já estão se encaixando e não há tanto receio de se expressar como realmente é.

De modo geral, Dash e Lily trás uma reflexão quanto a várias coisas que nós já vivemos na adolescência, trazendo também uma perspectiva diferente quanto o relacionamento, que ambos se apaixonaram mesmo sem se verem, se apaixonaram pela forma com a qual as palavras refletiam a identidade de cada um, embora percebam depois que acabaram criando a imagem de um garoto perfeito e uma garota perfeita na cabeça de cada um deles, mas esse amor não foi baseado na aparência, o que infelizmente ainda existe muito na vida real, então essa série trouxe a tona essa vertente, que os relacionamentos não devem ser baseados apenas naquilo que estamos vendo, pois isso um dia acaba, um dia envelhecemos mas aquilo que somos em essência não se perde.

Dou 4 estrelinhas para essa série.

Caso, assim como eu, queira também ler o livro, vou deixar o link de uma loja online que encontrei esse livro em oferta da Black friday nesse link.


Não deixe de me seguir no Pinterest, clicando aqui, onde compartilho várias coisas interessantes sobre desenvolvimento pessoal, organização, vida saudável, receitas e produtividade, como também se inscreva na Newsletter, logo aqui em baixo, no rodapé do blog para que você receba as notificações sempre que sair post novo aqui no blog e faça parte dos seguidores do blog se inscrevendo logo abaixo também. Me acompanhe também no instagram que é @larissabuenoc. Tem várias coisas legais por aqui aproveite para conferir navegando pela página, é muito bom ter você aqui com a gente.

Compartilhe com quem você gosta,
Com carinho, Lari. #nick jonas #dash e lily netflix #o caderninho de desafios de dash e lily #midori francis #austin abrahms #jony mitchell river

  • Share:

Você pode gostar também

0 comentários