Carta Missionária | 2

By Larissa Bueno - junho 24, 2020




Exatamente hoje, faz um ano que eu embarquei para a Espanha para participar de uma escola missionária, e confesso que na contagem regressiva para chegar a um ano desde que tudo isso aconteceu fiquei bastante nostálgica, recordando de detalhes que nem tinha percebido tanto na época pois o meu coração estava/esta com saudades desse tempo tão precioso que vivenciei nesse lugar. E enquanto estava fazendo o devocional me lembrei da carta que havia escrito a alguns meses sobre a Espanha, ao mesmo tempo que dentro de mi  surgiu o desejo de continuar escrevendo hoje sobre fé, o que me permitiu chegar a Espanha sem ter um real quando fiz a minha inscrição. Se você ainda não leu a primeira carta, recomendo lê-la para entender melhor sobre o que vou discorrer nessa carta, clicando aqui antes de começar a ler essa de hoje.

Confesso que eu ainda fico abismada com o que Deus fez nesse tempo e desde então venho refletindo muito sobre isso. Eu não trabalhava, nem teria condições de arcar com todas as despesas mesmo que meus pais me ajudassem, mas eu tinha fé. Quando eu fiz a inscrição da escola, no dia 31 de dezembro de 2018 não fazia ideia de como iria pagar aquele primeiro boleto, de seis, de R$ 920,00 e a minha preocupação maior viria depois, quando precisaria comprar as passagens, contratar o seguro viagem e as outras despesas. Compartilhei com um amigo sobre o que eu havia acabado de fazer, mesmo sem a certeza de que eu realmente iria e ele me disse algo que eu jamais vou esquecer: "Você é uma menina de fé Lari!" e isso gerou dentro de mim mais fé ainda me fazendo confiar em Deus ainda mais.

Imprimi todos os seis boletos da escola, num total de R$ 5.520,00 e fui para o meu quarto orar, eu realmente tinha fé que Deus poderia me permitir pagar aqueles boletos. Peguei o meu passaporte, que já tinha fazia algum tempo e os boletos e comecei a orar sobre eles, dizendo com todas as letras que eu não aceitava começar a pagar e depois não ter como pagar e ter que desistir da escola, ou que algum atrasasse e deixasse de pagar na data correta, afinal o juros era quase 100 reais por dia de atraso. Anotei a minha oração em um diário de oração e entreguei quilo a Deus.

Para o primeiro boleto eu e minha mãe pensamos em fazer uma rifa sorteando uma cesta e chocolate, mas por alguns imprevistos só consegui pegar os bilhetes no dia 7 de janeiro, faltando apenas 13 dias para o vencimento do boleto. Eu era líder de um movimento de praça, onde fazíamos cultos todas as segundas feiras e nesse dia especifico tinham cerca de 25 pessoas reunidas com a gente, já chegando no final comentei sobre a oportunidade que eu teria de fazer a escola e alguns amigos me ajudaram com a venda das rifas, outros pegaram alguns bloquinhos para me entregarem vendidos na outra semana e quase não sobraram muitas para eu vender. Vendi alguns blocos para meus avós e minhas tias, meu padrasto também ajudou levando alguns para o trabalho e alguns alunos do curso da escola de aviação me ajudaram comprando também. Houveram alguns contratempos nesses 13 dias, algumas pessoas não conseguiram me entregar o valor no dia combinado e quando fui fazer as contas para ir ao banco pagar o boleto estavam faltando, não me lembro bem mas acho que 200 reais. Não sabia o que fazer, mas uma amiga me emprestou para depois devolver a ela quando recebesse das pessoas. Quando entrei no banco para pagar, meu coração se encheu de alegria que eu não aguentei segurar as lágrimas, as pessoas não entendiam nada.

O segundo boleto, o terceiro, o quarto e o quinto foram pagos pela graça de Deus também. Acabou sobrando um dinheiro da rifa de chocolate para o segundo boleto, também arrecadei dinheiro vendendo algumas roupas que não usava mais, e outras que fui tirando do guarda roupa para vender também que fez minha mãe perguntar se eu teria roupa para ir para a Espanha já que estava vendendo boa parte. Muitas pessoas que eu nem conheço ofertaram em minha vida através dos banners com as contas bancárias que eu divulgava no instagram e meus amigos também compartilhavam, como também pelo Youtube. Vendi bolo de pote nos cultos na praça e empadão que minha avó fez, fiz caderninhos missionários personalizados, fiz outra rifa de um Ukulele que graças a Deus vendeu bastante e como era convidada para cantar em algumas igrejas as pessoas davam ofertas para ajudar na escola também. Mas posso dizer que a maior parte foi de ofertas, sem que as pessoas recebessem algo em troca, comprando algo.

O último boleto da escola especificamente surgiu a idéia de fazer marmitex para vender e arrecadar dinheiro, onde fui muito abençoada por quem se propôs me ajudar com isso, pois só tive o trabalho de vender e fechar as marmitex já prontas. Vendemos muitas marmitex graças a Deus e quase conseguimos o valor do boleto, que faltavam 4 dias paga vencer e uma semana para eu viajar. Entrei um pouco em desespero confesso, pois haviam outras despesas também, mas mais uma vez vendi bolos de pote na segunda feira na praça, pessoas ofertaram, fiquei responsável pela cantina da igreja numa casa de oração um dia antes de pagar o boleto e fui surpreendida, conseguimos todo o valor do boleto para o dia seguinte. 

Nesse meio tempo comprei a passagem parcelada em 8x em boletos, que precisava pagar todo mês R$ 370,00 além dos boletos da escola, como outras despesas com coisas que precisava comprar para levar como as malas, e ainda precisava me preocupar com o seguro que não fazia ideia de como pagaria. E em um dia um casal da minha igreja entrou em contato comigo perguntando se eu havia conseguido comprar a passagem e o seguro, até então ainda não tinha comprado a passagem mas estava cotando já, no mesmo lugar que as meninas do grupo da Espanha também iriam comprar, em Chapecó, e poucos dias depois de falar para eles que havia conseguido comprar a passagem, eles disseram para eu ir numa agencia aqui da minha cidade porque só precisavam que eu passasse os dados da viagem para o seguro de viagem que tinham me abençoado. 

Posso dizer que cada dia fui surpreendida por Deus em alguma coisa, nos mínimos detalhes aos maiores e quando eu achei que já havia encerrado todo o processo de arrecadação de dinheiro, no culto de envio missionário fui absurdamente surpreendida com o valor das ofertas que depositaram sobre a bandeira enquanto o pastor orava por mim. Também levei alguns caderninhos que havia feito para que as pessoas pudessem ofertar o valor que quisessem para tê-lo e todos foram vendidos e arrecadamos uma boa quantia para a glória de Deus. Os boletos foram pagos antes da escola, a bagagem despachada foi paga e fui suprida para a Espanha,  pois até então não tinha sobrado dinheiro para comprar euros e eu embarquei com apenas 85 euros em mãos para a Europa, pois minha mãe faria o depósito para mim no outro dia para a conta internacional.  Mas esse é um assunto para a próxima carta. Totalizando mais de R$ 10.000,00 reais nas despesas para essa escola missionária.

Quero dizer com essa carta que Deus em todo o tempo supre tudo aquilo que precisamos a partir do momento que depositarmos fé, pois tudo o que precisamos está nEle, a única coisa que devemos fazer é depositar nEle a nossa confiança e fazer a nossa parte, porque sim Ele cuida de nós e se deixarmos Ele agir em nossas vidas, pode ter certeza que o impossível acontece!!!

Não deixe de me seguir no Pinterest, clicando aqui, onde compartilho várias coisas interessantes sobre desenvolvimento pessoal, organização, vida saudável, receitas e produtividade, como também se inscreva na Newsletter, logo aqui em baixo, no rodapé do blog para que você receba as notificações sempre que sair post novo aqui no blog.

"Atire o seu pão sobre as águas, e depois de muitos dias você tornará a encontrá-lo" Eclesiastes 11.1

Compartilhe com quem você gosta!
Com carinho, Lari.

  • Share:

Você pode gostar também

0 comentários